Yoga é tratamento eficaz para pacientes com dor crônica nas costas








Aulas de yoga especializadas fornecem maneira efetiva de tratamento de pacientes com dor lombar crônica

O yoga pode ser um tratamento eficaz para pacientes que sofrem com dor lombar crônica ou recorrente. É o que revela estudo de pesquisadores da Universidade de York, no Reino Unido.

A pesquisa sugere que o tratamento alternativo com yoga durante 12 semanas é tão eficaz e mais rentável que o atendimento clínico convencional.

Os resultados sugerem ainda que a terapia reduz o período de afastamento do trabalho de 12 dias com o tratamento normal para apenas quatro dias.

"A dor nas costas representa um ônus significativo para o Sistema de saúde no Reino Unido e para a sociedade como um todo. Bem como os custos de cuidados de saúde associados, é também uma das principais causas de afastamento do trabalho que leva a uma perda de produtividade para a sociedade", afirma o pesquisador David Torgerson.

Embora o yoga tenha sido mostrado como uma intervenção eficaz para o tratamento da dor lombar crônica, até agora, havia poucas evidências sobre a sua eficácia de custo.

universityofyorkuk
Yoga é tratamento eficaz para pacientes que sofrem com dor lombar crônica.


O estudo avaliou a eficácia do yoga no tratamento da dor nas costas. O estudo envolveu dois grupos de pessoas que foram identificadas como tendo dor lombar crônica ou recorrente.

Um grupo de 156 pessoas recebeu aulas de yoga em grupo especialmente planejada para melhorar a função das costas, enquanto um segundo grupo controle de 157 pessoas recebeu apenas atendimento médico.

Eles descobriram que 12 aulas de grupo semanais, durante 12 meses, proporcionou uma intervenção custo-efetiva para o tratamento de pacientes com dor lombar crônica ou recorrente.

"Ficamos felizes em descobrir que o yoga não só ajuda as pessoas a gerir a dor nas costas, mas também é rentável, e resulta em menos dias doentes. Esperamos que mais pessoas com dor nas costas sejam encorajadas a assumir o yoga como tratamento", conclui o pesquisador Alan Silman.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).


COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários:

Comente com educação que o seu comentário será aprovado. Participe sempre!