Postura adequada pode evitar dores na coluna







O cotidiano do homem moderno está tornando as dores de coluna cada vez mais frequentes. Nos Estados Unidos, a lombalgia é a causa mais comum de afastamento do trabalho e, no Brasil, é o acometimento que mais leva pacientes a centros de ortopedia e reabilitação. Pesquisas mais recentes revelam um cenário ainda mais preocupante. Hoje, acredita-se que todo indivíduo adulto terá, pelo menos, um episódio de dor lombar durante a vida. A estimativa anterior girava em torno de 80%.

O tratamento destes males e o afastamento dos trabalhadores implica em altos custos. Em razão disso, aumenta a preocupação com pesquisas de novos fármacos e novas técnicas cirúrgicas e fisioterápicas, que facilitem o atendimento e melhorem os resultados, influenciando na qualidade de vida dos pacientes.

A queixa mais comum nos consultórios é a lombalgia - termo genérico para definir dores na região lombar, que vai das últimas costelas até a região glútea. A origem do incômodo pode estar ligada a diversas estruturas - óssea, ligamentar, neurológica, articular, muscular ou discal. Isso torna o diagnóstico mais complicado.

Em relação aos problemas no disco intervertebral, como a hérnia de disco, as causas mais comuns para o seu desgaste são sedentarismo, obesidade, falta de flexibilidade, fraqueza muscular e alteração postural. Atualmente, já se fala até em predisposição genética. As atividades do dia-a-dia também influenciam na possibilidade de ter um problema discal, por exemplo, ao trabalhar o dia todo sentado ou carregando peso.

Todas as pessoas, portadoras ou não de alguma lesão, devem atentar aos movimentos e posturas que devem ser evitadas nas atividades mais comuns do dia-a-dia. Assim, é possível impedir ou diminuir dores futuras na coluna. A correta assimilação das orientações a seguir influencia inclusive no tratamento.

Começando pela postura em pé, procure manter os pés um pouco afastados, joelhos levemente flexionados e a coluna lombar com a lordose fisiológica normal. Isso significa ter a bacia levemente empinada. Manter a coluna reta e a linha do olhar direcionada para o horizonte. Caso precise pegar algum objeto abaixo da linha da cintura, não se deve inclinar o tronco para frente. A maneira correta é flexionar os joelhos, mantendo a coluna ereta. Se o objeto for pesado, contraia o abdômen. Isso gera uma pressão intra-abdominal que protege a lombar.

No caso de postura sentada, procure apoiar o peso do seu tronco sobre uma estrutura chamada tuberosidade isquiática - uma proeminência óssea localizada no meio da massa muscular da região glútea. Mantenha os joelhos e quadris em 90º de flexão e os pés totalmente apoiados no chão. A coluna deve ficar totalmente apoiada no encosto da cadeira com a lordose lombar normal (como na postura em pé). Os ombros ficam relaxados com os antebraços apoiados sobre a mesa ou apoio da cadeira. O olhar fica direcionado ao horizonte e, caso esteja à frente de um computador, mantenha a parte mais alta do monitor na altura das sobrancelhas. A postura sentada é a mais perigosa para a coluna. Por isso, evite permanecer mais de uma hora nesta posição.

A postura deitada é usualmente utilizada como uma posição de alívio. Existem duas alternativas mais recomendáveis. A primeira é de decúbito lateral (de lado), com um travesseiro que tenha a altura do seu ombro, mantendo a cabeça alinhada com o resto da coluna, que permanece ereta. As pernas devem ficar semi-flexionadas ou a de baixo esticada e a de cima apoiada sobre um travesseiro. Outra opção é em decúbito dorsal (barriga para cima) com as pernas flexionadas e apoiadas sobre alguns travesseiros. A flexão dos membros inferiores relaxa os músculos lombares e diminui a pressão sobre os discos.

No caso de indivíduos que já possuem uma lesão discal, os recursos disponíveis aos profissionais da área da saúde evoluíram muito. Tanto os fármacos ficaram mais específicos como as abordagens fisioterápicas mais eficientes. Dentro desses recursos estão o trabalho postural (conhecido como RPG), a hidroterapia (indicada em casos mais agudos) e a descompressão discal não cirúrgica. Esse último é realizado por um equipamento inovador: a DRX9000 True Non-Sirurgical Spinal Decompression SystemTM, da Axiom Worldwide, que vem demonstrando um índice de melhora altíssimo.

A soma dessas orientações posturais, com bom diagnóstico médico, trabalho fisioterápico bem orientado e a realização de atividades físicas de forma sistemática diminuem consideravelmente a possibilidade de recidiva das dores lombares, ou até mesmo a necessidade de uma intervenção mais radical como uma cirurgia.


COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários:

Comente com educação que o seu comentário será aprovado. Participe sempre!