Escoliose afeta entre 2% e 4% da população mundial











A escoliose é uma doença que afeta entre 2 e 4% da população mundial, um enorme contingente de mais de 300 milhões de pessoas que sofrem com o problema em diferentes níveis de gravidade. A estimativa é que cinco em cada mil pessoas tenham a curva da coluna maior do que 20 graus e que uma em cada mil tenha curva maior que 40 graus. 

Em novembro, será lançado o livro A Menina da Coluna Torta, de Julia Barroso que narra, em detalhes, a vida de uma adolescente que tem a doença. O livro traz uma série de depoimentos de adolescentes que sofrem com o problema, depoimentos de médicos especialistas, fisioterapeutas que lidam com pacientes com escoliose e traz até dicas de moda para as meninas que precisam usar o colete de Milwaukee. Julia Barroso, autora do livro A Menina da Coluna Torta diz que o problema é complicado porque não afeta só o aspecto físico, mas que com tratamento é possível viver bem. 

 - O tratamento é só uma fase e, felizmente, passa rápido. Um problema de coluna é algo complicado, sim. Não só mexe com a estrutura física como com a vaidade também. Mas, não é o fim do mundo. Eu sempre dou o meu exemplo e mostro a esses adolescentes, a partir do meu blog e agora do livro, que no fim tudo acaba bem, garante Julia.

Escoliose

A escoliose é descrita pelos especialistas como um desvio da coluna vertebral, para a esquerda ou para a direita, resultando em um formato de "S" ou de "C". As escolioses podem ter prognósticos muito diferentes, se distinguindo pela progressividade ou gravidade das curvas.

Segundo o médico ortopedista pediátrico Fernando Furst, a escoliose idiopática é de causa desconhecida e é uma deformidade da coluna vertebral. O tratamento envolve fisioterapia, uso do colete e cirurgia e afeta entre 1 a 2% da população infantil. A escoliose pode ser diagnosticada em recém-nascidos (ainda no primeiro ano de vida), infantis (até os três anos) e juvenis (a partir dos 4 anos até a adolescência). A escoliose idiopática do adolescente é um desvio da coluna de causa desconhecida que atinge, na maioria das vezes, em 80% dos casos, as meninas.

Fisioterapia 

Outra participação especial no livro é da fisioterapeuta Patrícia Italo Mentges, especializada no tratamento da escoliose, doença ainda desconhecida no Brasil, tanto pela população em geral quanto por boa parte da classe médica. Patricia explica que a fisioterapia é bastante útil nos casos de escoliose e lembra da importância do tratamento no caso de preparo para cirurgias.

 - A fisioterapia no tratamento da escoliose permite a regressão do grau das curvas, além de impedir ou retardar a evolução isso, claro, dependendo de cada caso. Na verdade, o sucesso da aplicação da fisioterapia está diretamente relacionado à conscientização do paciente, explica.

Patricia Mentges lembra que é fundamental que paciente, fisioterapeuta e família formem um time e que o profissional de saúde deve se assegurar que o paciente esteja sempre motivado para o tratamento.

COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários:

Comente com educação que o seu comentário será aprovado. Participe sempre!