Exercite os músculos da região da coluna vertebral







Lombalgias, dores do nervo ciático, escolioses, hipercifoses, hiperlordoses e problemas cervicais. Se você sofre ou já sofreu de algum destes males, acredite, você não está sozinho. Estima-se que 80% da população mundial têm, teve ou terá patologias ou desconforto relacionado às várias disfunções da coluna vertebral. Falta de exercícios, sedentarismo, problemas ergonômicos, fibromialgia, osteoporose, excesso de peso, compensação por lesões, tensão psicológica e excesso de trabalho costumam ser os fatos desencadeadores.

Na prática, quando existe tensão demasiada ou falta de mobilidade em algum dos músculos que circundam o tronco, aparecem os desequilíbrios e os desvios posturais, que podem trazer desconforto e dores em um primeiro momento e deformidades ósteo articulares ao longo do tempo. 

Veja mais:

Transtornos Musculoesqueléticos da Coluna Vertebral

Coluna Vertebral: Terapia Manual

A qualidade da postura pode fazer uma enorme diferença. Qualquer pessoa pode se sentir mais jovem, forte e confiante se adotar uma postura mais adequada! A melhor forma para se obter equilíbrio muscular e melhorar a postura é fortalecer mais os músculos do tronco que são menos utilizados no dia a dia e procurar alongar os músculos que se encontram sempre tensos ou doloridos.

A atividade física e o exercício que promove resistência muscular podem ser considerados elementos preventivos, uma vez que impedem o ciclo da atrofia e da redução da amplitude de movimento, que resultam em movimentos cada vez mais restritos.

O exercício pode contribuir para melhorar a função muscular através de fatores neurológicos, estimulando a hipertrofia, auxiliando na manutenção do peso corporal e da densidade óssea, e melhorando a performance do sistema cardiovascular. Alguns estudos comprovaram ainda a diminuição dos níveis de dor, de depressão e de fadiga entre as pessoas que se exercitam regularmente. 

Restrições

Quem já tem dores nas costas ou patologias da coluna vertebral deve tomar muito cuidado ao escolher uma atividade física para praticar. É preciso ficar atendo para:

- Atividades com impacto (corrida, saltos e trotes);
- Posições que geram tensão na região dorsal ou na região cervical (deitar de bruços, deitar de lado com a cabeça apoiada sobre a mão, flexionar o tronco à frente sentado)
- Mudanças bruscas de direção (movimentos típicos de vários esportes);

- Rotações sucessivas de tronco (golfe e atividades diárias rotineiras);
- Excesso de carga longitudinal sobre a coluna (exercícios com barra ou bastão sobre os ombros);
- Flexões de tronco (para quem tem osteoporose avançada). 

As melhores atividades para estes casos são:

- Hidroginástica (tem baixo impacto e promove perda de peso);
- Natação (fortalece a cintura escapular, ombros e tronco);
- Pilates (fortalece a musculatura profunda do tronco - transverso e paravertebrais);
- Alongamento axial (com uso do rolo Axis, da bola suíça Fitball ou do banco Fitflex);
- Musculação (desde que observadas as restrições acima).


COMENTE ESSE POST

Compartilhe no Google +

0 comentários:

Comente com educação que o seu comentário será aprovado. Participe sempre!